• Telefone fixo e WhatsApp: (14) 3204-7403 | contato@sindboss.com.br

Posts Tagged :

sindboss

Condomínio com problemas? Saiba quando é hora de contratar um síndico profissional 800 450 sindboss

Condomínio com problemas? Saiba quando é hora de contratar um síndico profissional

Se você mora em condomínio ou é proprietário de um imóvel, certamente já passou por alguma situação desagradáveis envolvendo outros moradores ou funcionários. Sabe por que isso acontece? Pelo fato de que muitos condomínios ainda não possuem um síndico profissional para gerir, organizar, supervisionar e orientar moradores e outros funcionários sobre seus direitos e deveres. Se identificou e quer saber mais? Fique até o final desta breve leitura de três minutos!

 

Diversos problemas podem surgir em um condomínio. Dentre eles, podemos destacar os conflitos por mau uso da garagem, barulhos excessivos em horários inadequados, moradores que não preservam os espaços compartilhados e funcionários indisciplinados. Tudo isso pode se agravar ainda mais se o síndico não estiver preparado para gerir um condomínio – o que geralmente acontece em casos onde o síndico é morador e não um profissional da área. 

 

Se você já vivenciou alguma dessas situações, saiba que isso é muito comum do que podemos imaginar. Afinal, conviver em coletividade é desafiador e requer empatia, respeito e bom senso. No entanto, você pode e deve ter mais tranquilidade, segurança e bem-estar em seu condomínio. A boa notícia é que um síndico profissional pode facilmente solucionar todos os conflitos citados acima e muitos outros. Isso porque o síndico profissional é preparado, treinado e totalmente focado em sua função que vai desde gerir a parte financeira do condomínio, garantindo que não haverão inadimplências, até a melhoria da comunicação interna, intermediação de conflitos e várias outras funções que vão de acordo com as necessidades do condomínio.

 

“Há uma grande diferença entre viver na comunidade e viver em comunidade.” – Kabral Araujo.

 

A partir desta frase, faça a seguinte reflexão: você, enquanto morador, tem vivido em comunidade? Você colabora com sua vizinhança e faz sua parte? Se a resposta for sim, saiba que você tem o direito de exigir o cumprimento das normas e regras de outros moradores e proprietários, assim como prevê o Código Civil brasileiro estabelecido no Art. 1.335 que descreve os direitos dos condôminos e moradores. 

 

Sendo assim, não deixe seu condomínio se perder em meio aos conflitos. Seu lar é um bem precioso e você pode agir para beneficiar a sua vida e a de todos os outros moradores. Como fazer isso? É simples! Tudo começa pela assembleia de condomínio, que se trata de uma reunião para debater assuntos relevantes para o condomínio. Ela está prevista no Código Civil e todos os condôminos e moradores podem participar, exceto quem estiver inadimplente. Basta você entrar em contato conosco, solicitar nossa visita na próxima assembleia e a partir daí, iremos traçar novas oportunidades, identificar pontos defasados e soluções para melhorias para seu condomínio. 

 

Vale lembrar que não somos administradores de condomínios, porém, somos uma empresa especializada em treinamento e direcionamento de síndicos profissionais que podem fazer um excelente trabalho dentro de condomínios residenciais, comerciais ou mistos. Estamos presentes em diversos condomínios de Bauru e região e nosso propósito é cuidar do seu patrimônio melhor do que você cuidaria! 

 

Nós, da Sindboss, estamos comprometidos em entregar as melhores soluções para seu condomínio. Não deixe de entrar em contato e saiba mais sobre nosso trabalho. Vamos juntos levar mais segurança, tranquilidade e bem-estar para seu lar! 

 

Acesse nosso WhatsApp para mais informações: (14) 3204-7403.

Inadimplência condominial: como reverter essa situação através de alternativas para pagamentos 800 450 sindboss

Inadimplência condominial: como reverter essa situação através de alternativas para pagamentos

A pandemia da Covid-19 afetou negativamente a economia e o desemprego bateram recorde neste período. Em decorrência da queda no faturamento de diversas famílias, a inadimplência atingiu diversos setores, entre eles, o condominial. A falta de pagamento por parte dos moradores afeta diretamente o dia a dia do condomínio, pois sem dinheiro em caixa, não é possível fazer manutenções periódicas necessárias, quando falamos de receitas ordinárias, melhorias na estrutura residencial, quando falamos em receitas extraordinárias, além de provocar o atraso no salário dos funcionários.

 

De acordo com a pesquisa Índice Periódico de Mora e Inadimplência Condominial, realizada pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios do Estado de São Paulo (AABIC), a maior entidade que representa este setor, o último trimestre de 2021 registrou a menor média histórica de inadimplência no pagamento de boletos condominiais no Estado de São Paulo, com o índice médio de 2,20%. Em janeiro de 2022, houve um aumento na inadimplência para 2,41%.

 

Lei sobre inadimplência em condomínios

 

O artigo 1336 do Código Civil – I, destaca: “contribuir para as despesas do condomínio na proporção das suas frações ideais, salvo disposição em contrário na convenção; (Redação dada pela Lei nº 10.931, de 2004)”. Deste modo, é dever do condômino contribuir para as despesas do edifício.

 

O § 1º do artigo 1336 prevê: “O condômino que não pagar a sua contribuição ficará sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de um por cento ao mês e multa de até dois por cento sobre o débito”. Por lei, a cobrança de juros no valor mensal é autorizada.

 

Além da inadimplência afetar a saúde financeira do condomínio, trazendo prejuízos significativos relacionados às melhorias no ambiente, há a insatisfação com a gestão do síndico, prejudicando o convívio em harmonia entre os moradores, tendo em vista que os adimplentes, muitas vezes, acabam pagando taxas extras a fim de suprir a falta de pagamento dos inadimplentes. Evidentemente, esta situação gera um conflito entre os moradores e também com o síndico.

 

Alternativas para reverter a inadimplência condominial

 

Solucionar a inadimplência não é uma tarefa fácil, pois o cenário econômico ainda não é favorável. Entretanto, para evitar que as finanças do condomínio sejam ainda mais prejudicadas, algumas alternativas podem ser eficazes, minimizando os prejuízos acumulados ao longo da pandemia.

 

O parcelamento de débitos é sempre uma solução que contribui para que o condômino se organize e pague as parcelas, porém, é preciso que ele esteja ciente dos juros previstos em lei.

Uma das maneiras adotada para a reverter a inadimplência é a aprovação para a contratação de uma empresa garantidora das cotas condominiais, que subsidia um condomínio com a receita integral e cobra os inadimplentes. Este serviço é seguro por garantir a integralidade da receita e, para os adimplentes, não muda nada e nem há adição de taxas, uma vez que eles continuam pagando em dia. Quanto aos inadimplentes, esta empresa garantidora irá realizar as cobranças para quitar as parcelas em atraso junto ao condomínio.

 

Mas, nada substitui a busca por uma conversa amigável para compreender a situação dos condôminos inadimplentes, para assim, auxiliar na busca de alternativas para solucionar este problema. Avaliar cada caso individualmente é uma maneira de oferecer formas de pagamento que se encaixem no orçamento do morador e, consequentemente, o condomínio reverterá a inadimplência.

 

Protestos e ações judiciais

 

Caso todas essas soluções não sejam suficientes, o síndico pode negativar o nome do morador inadimplente, porém, este processo precisa ser aprovado em assembleia, com um prazo máximo para o morador quitar a taxa condominial.

 

Além disso, é possível realizar o protesto para recuperar a inadimplência antes das ações judiciais. Em casos mais graves, quando não há um acordo com o morador, a justiça pode ser acionada.

 

Artigo escrito por Felipe Ervilha Fernandes, síndico profissional, proprietário da Sindboss.

Respeitando a convivência: saiba como praticar a empatia e o respeito 1024 801 sindboss

Respeitando a convivência: saiba como praticar a empatia e o respeito

Viver em condomínio exige a prática constante de ouvir e compreender o outro. Confira o nosso check-list da gentileza!

Conviver é o ato de compartilhar experiências, e sabemos que nos dias de hoje a tarefa não é fácil. Quem vive em condomínio sabe que a situação pode ficar ainda mais desafiadora quando os moradores não possuem o hábito de se colocar no lugar do outro, a fim de avaliar quando as atitudes estão sendo coerentes com a empatia e o respeito que todos desejamos. Para te ajudar a identificar essas atitudes, listamos algumas dicas!

1. Faça aos outros o que gostaria para si mesmo

Ser livre é o desejo de todo ser humano e significa ter autonomia para escolher nossas ações. Há profundas reflexões sobre o tema desde a Antiguidade, o que mostra a importância do assunto. A grande questão se trata do ponto de equilíbrio na convivência com outras pessoas.

Há uma frase muito conhecida do filósofo inglês Herbert Spencer que diz que “a liberdade de cada um termina onde começa a liberdade do outro”. Agir com empatia é tratar o próximo da forma como você gostaria de ser tratado, reconhecer os limites das nossas ações e das ações alheias para conosco. Isso fortalece a confiança em um relacionamento, além de tornar a convivência mais harmoniosa.

Mostre real interesse pelo que a outra pessoa está falando e evite qualquer tipo de julgamento, isto é, seja um bom ouvinte e pratique a escuta ativa. Faça perguntas se necessário e cheque a compreensão da mensagem. Não é preciso concordar com o que está sendo falado, mas entender que a pessoa que fala pode ter pensamentos e ideias divergentes das suas.

Tenha abertura para conhecer a realidade da outra pessoa, inclusive, escutar o que ela tem a dizer e o que não é dito, mas que pode ser percebido no tom de voz, nos gestos, expressões ou no olhar.  Dessa maneira, as ideias e opiniões são melhor expostas e o respeito prevalece.

2. Se interesse pela realidade do outro

2. Se interesse pela realidade do outro

Mostre real interesse pelo que a outra pessoa está falando e evite qualquer tipo de julgamento, isto é, seja um bom ouvinte e pratique a escuta ativa. Faça perguntas se necessário e cheque a compreensão da mensagem. Não é preciso concordar com o que está sendo falado, mas entender que a pessoa que fala pode ter pensamentos e ideias divergentes das suas.

Tenha abertura para conhecer a realidade da outra pessoa, inclusive, escutar o que ela tem a dizer e o que não é dito, mas que pode ser percebido no tom de voz, nos gestos, expressões ou no olhar.  Dessa maneira, as ideias e opiniões são melhor expostas e o respeito prevalece.

3. Dê espaço à diversidade

A importância da convivência social é compartilhar a diversidade de comportamentos e opiniões. Portanto, seja em uma conversa ou situação conflituosa, o respeito deve ser uma atitude e uma escolha. Dê espaço para que o vizinho ou amigo possa conversar tranquilamente. Inclusive, grandes lições são aprendidas quando escutamos além das nossas próprias opiniões.

Observe como a mensagem está sendo transmitida. Percebeu alguém nervoso com algo? Evite formular respostas imediatas. Se posicionar no “calor do momento” nunca é o ideal. Antes de falar, analise o contexto e busque compreender o que a pessoa está sentindo. Tirar conclusões precipitadas ou criar um pré-conceito pode impedi-lo de ter uma relação amistosa com o seu vizinho, por exemplo.

4. Fique atento às emoções

4. Fique atento às emoções

Observe como a mensagem está sendo transmitida. Percebeu alguém nervoso com algo? Evite formular respostas imediatas. Se posicionar no “calor do momento” nunca é o ideal. Antes de falar, analise o contexto e busque compreender o que a pessoa está sentindo. Tirar conclusões precipitadas ou criar um pré-conceito pode impedi-lo de ter uma relação amistosa com o seu vizinho, por exemplo.

5. Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia está aí para nos ajudar, elas aproximam as pessoas e tornam a comunicação mais rápida. Porém, alguns cuidados são fundamentais quanto ao seu uso, afinal, para não criar problemas, a comunicação precisa ser assertiva.

Em um grupo de WhatsApp, por exemplo, há sempre espaço para compartilhar vivências e opiniões, mas deve ser feito com muita cautela. Um texto escrito pode deixar a informação mais clara e objetiva, mas é importante usar toda a perícia com as palavras para não causar duplo sentido ou mal entendidos.

Já uma mensagem de áudio tem maior receptividade pois transmite o tom de voz, que pode ser amistoso, porém, ao falar perdemos parte da capacidade de organização de ideias do que quando escrevemos, então exige maior cuidado para transmitir uma informação adequada.

RESPEITAR PARA SER RESPEITADO

Viver em condomínio exige muitas atitudes baseadas no respeito e na empatia. Afinal, há diversas pessoas convivendo em um mesmo local e cada uma possui pensamentos e opiniões próprias. Nunca há motivo para tratá-lo com desrespeito por ser diferente de você.

Lembre-se de que escutar e dialogar passa longe da disputa sobre quem está certo ou errado. Todo mundo tem o direito de se expressar e liberdade para expor o seu ponto de vista. Um diálogo é sempre melhor do que um monólogo.

Fique atento para evitar o uso de gírias e palavras de baixo calão para expor pensamentos e/ou sentimentos. As palavras possuem significados diferentes para cada pessoa. Exercer a empatia e o respeito são alternativas que podem desenvolver diálogos saudáveis.

Check-list da gentileza

Para ver se você está no caminho certo da gentileza e da boa convivência, marque abaixo com afirmativo ou falso as alternativas que correspondem às suas atitudes no dia a dia:

-Respeito as pessoas e as diferenças;

-Sou empático, me coloco no lugar do outro;

-Aprendo e aceito as opiniões opostas das minhas;

-Respiro, ouço e compreendo a situação antes de responder;

-Cultivo bons relacionamentos com pessoas diferentes de mim.

Pronto (a) para colocar em prática? A SindBoss pode ser acionada para a resolução de qualquer conflito. Juntos, podemos pensar nas melhores alternativas capazes de resolver a situação e manter a harmonia.

Aliás, não deixe de conferir o nosso conteúdo sobre boas práticas aos moradores. E para continuar aprendendo a lidar a empatia e com o convívio em comunidade, conversar com um profissional pode ajudar!

 

Gostou das dicas? Então compartilhe com a família, amigos e vizinhos.

Se sente incomodado? Saiba como fazer a sua reclamação 623 351 sindboss

Se sente incomodado? Saiba como fazer a sua reclamação

A reclamação é o primeiro passo para identificar algum problema no condomínio e buscar a solução. Nós explicamos como você pode fazer a sua, veja a seguir!

Quem vive em condomínio sabe que educação, tolerância e bom senso são fundamentais, não é mesmo? Cada morador precisa fazer a sua parte para manter a convivência em harmonia e evitar problemas. Porém, algumas vezes, é comum se sentir incomodado com algum vizinho ou com o próprio condomínio. Quando isso acontece, a reclamação pode ser feita como primeiro passo para buscar uma solução ou melhoria. Nós disponibilizamos um novo canal para esta finalidade e lhe explicamos como fazer!

Falar para ser ouvido

Todo e qualquer condômino deve reclamar sempre quando algo estiver fora do acordado em assembleia ou das regras do condomínio/regulamento interno. Lembrando que a comunicação precisa ser feita de maneira cordial, sem se exceder.

Pode-se registrar reclamações, como:

-Sugestão de melhoria;

Barulho do vizinho;

-Condutas irregulares;

-Observação sobre a manutenção das áreas comuns;

-Problemas com o descarte de lixo;

-Entre outras situações.

Vale destacar que o bom senso precisa ser levado em consideração, afinal, o morador não deve abusar do direito de reclamação.

Antes da pandemia, era comum usarmos o tradicional livro de reclamações. No entanto, a SindBoss, prezando pelas medidas de segurança, agora disponibiliza um formulário online para que cada morador possa fazer a sua reclamação.

Para isso, basta acessar nosso site na aba “Ouvidoria” e responder às perguntas do formulário. Suas respostas serão enviadas para o nosso e-mail e o quanto antes faremos a análise da sua reclamação, sugestão ou apontamento.

É muito importante saber a sua opinião para continuarmos melhorando a cada dia. Inclusive, o nosso WhatsApp está disponível em horário comercial caso queira tirar alguma dúvida ou falar sobre um assunto especifico. Não esqueça de que a sua reclamação só será formalizada quando você preencher o formulário.

Viu só como é fácil? Se estiver incomodado, fale. Em primeiro lugar, prezamos pela harmonia do condomínio e dos moradores. Por isso, sua opinião será sempre importante para nós!

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Como fazer a reclamação?

Como fazer a reclamação?

Antes da pandemia, era comum usarmos o tradicional livro de reclamações. No entanto, a SindBoss, prezando pelas medidas de segurança, agora disponibiliza um formulário online para que cada morador possa fazer a sua reclamação.

Para isso, basta acessar nosso site na aba “Ouvidoria” e responder às perguntas do formulário. Suas respostas serão enviadas para o nosso e-mail e o quanto antes faremos a análise da sua reclamação, sugestão ou apontamento.

É muito importante saber a sua opinião para continuarmos melhorando a cada dia. Inclusive, o nosso WhatsApp está disponível em horário comercial caso queira tirar alguma dúvida ou falar sobre um assunto especifico. Não esqueça de que a sua reclamação só será formalizada quando você preencher o formulário.

Viu só como é fácil? Se estiver incomodado, fale. Em primeiro lugar, prezamos pela harmonia do condomínio e dos moradores. Por isso, sua opinião será sempre importante para nós!

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Você sabe o que é perturbação do sossego? 622 417 sindboss

Você sabe o que é perturbação do sossego?

A perturbação do sossego é algo que todos os moradores devem se informar para evitar problemas futuros!

Afinal, você sabe o que é perturbação do sossego?

Se você mora em condomínio, já sabe que é preciso seguir algumas regras de boa convivência. Mesmo cada morador tendo o próprio espaço, o respeito com os vizinhos deve permanecer. Quando o assunto é barulho, por exemplo, até que ponto é permitido?

De acordo com a Lei 10.406, art. 1.336, inciso IV, é dever do condômino:

Dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação, e não as utilizar de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores, ou aos bons costumes.

Ou seja, mesmo estando dentro da sua casa, o morador não pode fazer o que quiser. Então, se o seu vizinho tem alguma atitude que provoca algum tipo de incomodo que prejudique o sossego, a salubridade (situação ou condição que não afeta a saúde das pessoas) e a segurança, seja sua ou do condomínio, ele poderá ser advertido e multado. Se estiver tendo algum problema, a SindBoss está à disposição. Entre em contato!

De forma simples, o direito ao sossego tem relação com o direito da vizinhança, também ligado à garantia de um ambiente sadio (que não envolva a poluição sonora). Aliás, a Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei nº 3.688) no seu artigo 42 estabelece pena de prisão ou multa para aquele que:

Perturbar o trabalho ou o sossego alheios: com gritaria ou algazarra; exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais; abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos; provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda.

Já sabe, né? Sossego está relacionado ao descanso e à tranquilidade das pessoas. Ninguém é obrigado a suportar barulho excessivo provocado por vizinhos, mesmo que o som seja antes do horário de repouso. O bom senso deve sempre ser colocado em ação!

Acima de tudo, o respeito é fundamental para uma boa convivência no condomínio. Quem está sendo perturbado, deve interfonar para a portaria e pedir para que o porteiro comunique o incômodo.

Caso não resolva dessa forma, se você for ligar pessoalmente para o vizinho, comunique-se de forma tranquila e educada. Se o vizinho não respeitar as reclamações, a queixa deve passar para o livro de ocorrências do condomínio e ser comunicada ao síndico.

Lembre-se! O bom senso e o respeito devem prevalecer. E qualquer problema ou dúvida, conte com a gente!

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Respeite, seja consciente e faça a sua parte!

Respeite, seja consciente e faça a sua parte!

Acima de tudo, o respeito é fundamental para uma boa convivência no condomínio. Quem está sendo perturbado, deve interfonar para a portaria e pedir para que o porteiro comunique o incômodo.

Caso não resolva dessa forma, se você for ligar pessoalmente para o vizinho, comunique-se de forma tranquila e educada. Se o vizinho não respeitar as reclamações, a queixa deve passar para o livro de ocorrências do condomínio e ser comunicada ao síndico.

Lembre-se! O bom senso e o respeito devem prevalecer. E qualquer problema ou dúvida, conte com a gente!

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Lixo não voa: a sua janela não é local de descarte 1024 1024 sindboss

Lixo não voa: a sua janela não é local de descarte

O morador é responsável pelo seu lixo e não deve, em hipótese alguma, descartá-lo pela janela!

Lixo pela janela

Se você mora em condomínio, já sabe que há algumas normas a serem seguidas. Um dos principais motivos é pela questão da convivência, afinal, todos dividem um espaço comum. Por conta disso, alguns problemas se tornam frequentes, por exemplo, o lixo jogado pela janela.

Você sabia que de acordo com a lei, artigo 938 do Código Civil, o morador é o responsável por qualquer dano que os objetos lançados venham a causar? No entanto, se o morador não for identificado, o condomínio se torna o responsável.

De modo geral, seja papel, objeto, bituca de cigarro ou quaisquer outros tipos de lixo, não devem ser jogados pela janela.

Lembre-se, as áreas comuns são uma extensão da sua casa!

lixo não voa

-As bitucas de cigarros, além de deixar as áreas comuns sujas, podem causar focos de incêndio. O vento pode contribuir e fazê-las entrar em um apartamento vizinho, atingindo alguma cortina ou sofá. Outra questão é que as crianças do prédio também podem ficar expostas a essas sujeiras.

-Qualquer sujeira jogada nas áreas comuns do condomínio, causa má impressão aos visitantes.

-O lixo jogado pela janela também pode desencadear ações que depreciam o condomínio como um todo.

-Oriente as visitas e crianças para que respeitem a regra da limpeza e não joguem nada pela janela.

Fique atento!

Fique atento!

-As bitucas de cigarros, além de deixar as áreas comuns sujas, podem causar focos de incêndio. O vento pode contribuir e fazê-las entrar em um apartamento vizinho, atingindo alguma cortina ou sofá. Outra questão é que as crianças do prédio também podem ficar expostas a essas sujeiras.

-Qualquer sujeira jogada nas áreas comuns do condomínio, causa má impressão aos visitantes.

-O lixo jogado pela janela também pode desencadear ações que depreciam o condomínio como um todo.

-Oriente as visitas e crianças para que respeitem a regra da limpeza e não joguem nada pela janela.

Quais as consequências?

O papel do síndico e de todos que trabalham no condomínio, é ficar atento para testemunhar a infração. O morador que for visto jogando lixo pela janela, será advertido e até multado.

Portanto, seja consciente e cuide do espaço onde você vive. Janela não é lixeira e lixo não voa!

Qualquer dúvida ou problema, entre em contato! Estamos sempre à disposição. E para saber mais sobre os cuidados com o lixo, clique aqui.

 

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Final de ano consciente: confira algumas dicas! 623 419 sindboss

Final de ano consciente: confira algumas dicas!

A época de celebrar já está chegando e nós separamos algumas recomendações para você

Preparado para um final de ano consciente?

Cá entre nós, este foi um ano de muito aprendizado. Tivemos que enfrentar desafios e adaptações. Não foi fácil, mas ao mesmo tempo pudemos crescer como pessoas. Aos poucos, vamos voltando a fazer o que fazíamos antes. No entanto, é sempre importante celebrar com consciência. Por isso, separamos algumas dicas essenciais para esse final de ano. Confira!

Cá entre nós, este foi um ano de muito aprendizado. Tivemos que enfrentar desafios e adaptações. Não foi fácil, mas ao mesmo tempo pudemos crescer como pessoas. Aos poucos, vamos voltando a fazer o que fazíamos antes. No entanto, é sempre importante celebrar com consciência. Por isso, separamos algumas dicas essenciais para esse final de ano. Confira!

Preparado para um final de ano consciente?

  • Covid-19 e as festas de final de ano

Lembre-se, a pandemia ainda não acabou. As comemorações deverão ser um pouco diferentes este ano. O ideal é tentar não se aglomerar com muitas pessoas, mesmo que seja em casa. Pela sensação de segurança que temos em nossos lares, muitas vezes há um certo desleixo em relação às medidas de cuidado. Sendo assim, mesmo se for se reunir com poucas pessoas da família, mantenha um certo distanciamento, use máscara e dê preferência para comemorar em espaços abertos.

  • De olho na alimentação

Final de ano + verão é aquela combinação que todo brasileiro gosta. Porém, com as temperaturas mais quentes, é importante mantermos a hidratação do corpo sempre em dia, assim como a ingestão de alimentos frescos e saudáveis.

-Beba pelo menos 2 litros de água por dia, principalmente se for tomar uma cervejinha (o álcool provoca perda hídrica).

-Evite comer muito alimentos calóricos. Depois que comemos, o corpo inicia o processo de digestão, fazendo com que alguns órgãos precisem de mais sangue para dar conta da demanda. Quando exageramos nas quantidades de alimentos gordurosos, é necessário enviar mais sangue para o sistema digestivo. Com isso, o volume de sangue disponível para o cérebro diminui e, consequentemente, pode causar sonolência e moleza (ainda mais intensos no calor).

– A alimentação no calor deve ser rica em verduras, frutas e legumes.

  • Atitudes sustentáveis

O meio ambiente também deve ser lembrado nesse final de ano. Atitudes sustentáveis e conscientes fazem a diferença. Veja algumas!

-Ao sair de um ambiente, lembre-se de apagar as luzes.

-Tire da tomada os aparelhos eletrônicos que não estão sendo usados.

-Diminua o tempo no banho.

-Reutilize a água da máquina de lavar.

-Separe o lixo reciclável. Veja mais dicas sobre o lixo aqui!

-Evite o desperdício de alimento.

Nossas dicas!

Nossas dicas!

  • Covid-19 e as festas de final de ano

Lembre-se, a pandemia ainda não acabou. As comemorações deverão ser um pouco diferentes este ano. O ideal é tentar não se aglomerar com muitas pessoas, mesmo que seja em casa. Pela sensação de segurança que temos em nossos lares, muitas vezes há um certo desleixo em relação às medidas de cuidado. Sendo assim, mesmo se for se reunir com poucas pessoas da família, mantenha um certo distanciamento, use máscara e dê preferência para comemorar em espaços abertos.

  • De olho na alimentação

Final de ano + verão é aquela combinação que todo brasileiro gosta. Porém, com as temperaturas mais quentes, é importante mantermos a hidratação do corpo sempre em dia, assim como a ingestão de alimentos frescos e saudáveis.

-Beba pelo menos 2 litros de água por dia, principalmente se for tomar uma cervejinha (o álcool provoca perda hídrica).

-Evite comer muito alimentos calóricos. Depois que comemos, o corpo inicia o processo de digestão, fazendo com que alguns órgãos precisem de mais sangue para dar conta da demanda. Quando exageramos nas quantidades de alimentos gordurosos, é necessário enviar mais sangue para o sistema digestivo. Com isso, o volume de sangue disponível para o cérebro diminui e, consequentemente, pode causar sonolência e moleza (ainda mais intensos no calor).

– A alimentação no calor deve ser rica em verduras, frutas e legumes.

  • Atitudes sustentáveis

O meio ambiente também deve ser lembrado nesse final de ano. Atitudes sustentáveis e conscientes fazem a diferença. Veja algumas!

-Ao sair de um ambiente, lembre-se de apagar as luzes.

-Tire da tomada os aparelhos eletrônicos que não estão sendo usados.

-Diminua o tempo no banho.

-Reutilize a água da máquina de lavar.

-Separe o lixo reciclável. Veja mais dicas sobre o lixo aqui!

-Evite o desperdício de alimento.

Você pode fazer é diferença

Viu só como dá para passar um final de ano mais consciente? As suas atitudes podem fazer uma enorme diferença. E não se esqueça, se precisar de algo, conte com a SindBoss!

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

lixo condomínio
Você sabe cuidar do seu lixo no condomínio? Confira algumas dicas! 1024 1024 sindboss

Você sabe cuidar do seu lixo no condomínio? Confira algumas dicas!

Descartar o lixo da forma correta faz parte das atividades de boa convivência em condomínio

Como cuidar do seu lixo?

Morar em condomínio exige algumas responsabilidades e respeito às regras da boa convivência. Mesmo a maioria estando ciente de algumas atitudes, muitos não respeitam aquilo que deve ser feito. Ou seja, o morador que não segue as orientações e descumpre as regras, está impedindo uma boa limpeza e o bem-estar do local que ele mesmo mora.

Separamos algumas dicas para que você fique por dentro do assunto e não cause uma situação desconfortável com os vizinhos. Confira!

  • Não jogue nada pela janela

Pode parecer improvável, mas alguns moradores costumam jogar bitucas de cigarro ou quaisquer outros tipos de lixo pela janela do apartamento. Não esqueça que todo mundo é responsável pela organização e limpeza da área comum.

  • Faça o descarte correto

Não deposite comida diretamente na lixeira, coloque os restos orgânicos em um saco fechado. Aliás, o ideal é que carnes, peixes e outros alimentos que exalam cheiros muito fortes, sejam colocados na lixeira perto do momento de sua retirada pelo pessoal da coleta.

  • Separe o lixo reciclável

É uma atitude simples! Separe o lixo reciclável do orgânico e lave o material reaproveitável antes de descartá-lo na lixeira.

  • Oriente o pessoal da sua casa

Instrua o pessoal da sua casa, principalmente os filhos e as visitas. Muitas vezes, por desconhecimento das regras, é comum que atitudes erradas aconteçam.

  • Cuidado com materiais cortantes

Quebrou algo dentro de casa ou precisa descartar algo cortante? Embale o objeto de forma que não haja riscos de machucar o responsável pela coleta.

Morar em condomínio exige algumas responsabilidades e respeito às regras da boa convivência. Mesmo a maioria estando ciente de algumas atitudes, muitos não respeitam aquilo que deve ser feito. Ou seja, o morador que não segue as orientações e descumpre as regras, está impedindo uma boa limpeza e o bem-estar do local que ele mesmo mora.

Separamos algumas dicas para que você fique por dentro do assunto e não cause uma situação desconfortável com os vizinhos. Confira!

  • Não jogue nada pela janela

Pode parecer improvável, mas alguns moradores costumam jogar bitucas de cigarro ou quaisquer outros tipos de lixo pela janela do apartamento. Não esqueça que todo mundo é responsável pela organização e limpeza da área comum.

  • Faça o descarte correto

Não deposite comida diretamente na lixeira, coloque os restos orgânicos em um saco fechado. Aliás, o ideal é que carnes, peixes e outros alimentos que exalam cheiros muito fortes, sejam colocados na lixeira perto do momento de sua retirada pelo pessoal da coleta.

  • Separe o lixo reciclável

É uma atitude simples! Separe o lixo reciclável do orgânico e lave o material reaproveitável antes de descartá-lo na lixeira.

  • Oriente o pessoal da sua casa

Instrua o pessoal da sua casa, principalmente os filhos e as visitas. Muitas vezes, por desconhecimento das regras, é comum que atitudes erradas aconteçam.

  • Cuidado com materiais cortantes

Quebrou algo dentro de casa ou precisa descartar algo cortante? Embale o objeto de forma que não haja riscos de machucar o responsável pela coleta.

Como cuidar do seu lixo?

Sua atitude é importante

Essas são algumas dicas básicas de atitudes que todos os condôminos devem ter. Caso ainda tenha dúvidas, entre em contato com a SindBoss. Estamos à disposição para esclarecer qualquer assunto que você tenha interesse.

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando.

Guia do morador: boas práticas em condomínio 1024 1024 sindboss

Guia do morador: boas práticas em condomínio

Para viver em condomínio, além dos deveres básicos de morador, é preciso ter boas práticas

Quem vive em condomínio, sabe que respeitar o próximo e ter uma boa convivência com os vizinhos é fundamental para manter a ordem. Claro que, às vezes, não é uma tarefa simples. Entretanto, pequenas atitudes podem influenciar a manter um ambiente mais harmonioso e tranquilo.

Nós, da SindBoss, estamos sempre preocupados em oferecer o melhor a todos os condôminos. Por isso, separamos algumas atitudes importantes que devem levadas em consideração por cada morador. Confira!

boas práticas em condomínio

As boas práticas em condomínio

As boas práticas em condomínio

boas práticas em condomínio

Quem vive em condomínio, sabe que respeitar o próximo e ter uma boa convivência com os vizinhos é fundamental para manter a ordem. Claro que, às vezes, não é uma tarefa simples. Entretanto, pequenas atitudes podem influenciar a manter um ambiente mais harmonioso e tranquilo.

Nós, da SindBoss, estamos sempre preocupados em oferecer o melhor a todos os condôminos. Por isso, separamos algumas atitudes importantes que devem levadas em consideração por cada morador. Confira!

Barulho

Este é um dos principais problemas de conflitos entre vizinhos. Nossa sugestão é sempre buscar seguir as regras do condomínio e usar o bom senso.

-Verifique as normas de onde você mora e não faça barulho após o horário permitido.

-Pense no próximo! Não é porque está no horário permitido, que você pode fazer o barulho que desejar.

-Caso tenha crianças dentro apartamento, o ideal é limitar o horário para brincadeiras até as 22h, por exemplo.

-No quarto dos pequenos, use um tapete emborrachado, carpete ou tapete comum, assim ajuda a evitar a propagação de som.

-Para diminuir o barulho quando for arrastar móveis, use “feltro” nos pés das cadeiras e mesas.

-Em caso de excesso de barulho de forma acidental, lembre-se de pedir desculpas aos vizinhos.

Convivência

Da mesma forma que é preciso manter uma boa convivência dentro de casa, fora também é preciso. Ou seja, ser educado e tratar com cordialidade o próximo, são atitudes básicas e que devem ser seguidas.

-Evite participar de qualquer tipo de fofoca ou boatos relacionados aos seus vizinhos.

-Precisa resolver um problema? A conversa amigável sempre será a melhor opção para resolução de conflitos.

-Participe das assembleias, é lá que os assuntos de interesse de todos os moradores são discutidos.

-No elevador, procure cumprimentar todos os presentes. Além disso, espere as pessoas saírem para entrar.

-Você compartilha o espaço com outras pessoas, por isso não jogue pela janela: bituca de cigarro, objetos ou restos de comida.

-Não pendure objetos nas janelas.

Da mesma forma que é preciso manter uma boa convivência dentro de casa, fora também é preciso. Ou seja, ser educado e tratar com cordialidade o próximo, são atitudes básicas e que devem ser seguidas.

-Evite participar de qualquer tipo de fofoca ou boatos relacionados aos seus vizinhos.

-Precisa resolver um problema? A conversa amigável sempre será a melhor opção para resolução de conflitos.

-Participe das assembleias, é lá que os assuntos de interesse de todos os moradores são discutidos.

-No elevador, procure cumprimentar todos os presentes. Além disso, espere as pessoas saírem para entrar.

-Você compartilha o espaço com outras pessoas, por isso não jogue pela janela: bituca de cigarro, objetos ou restos de comida.

-Não pendure objetos nas janelas.

Convivência

Garagem do condomínio 

A garagem também pode ser um espaço que, se não houver respeito, traz dor de cabeça aos condôminos.

-Não buzine, use luzes baixas e respeite a sua vaga.

-Sua vaga não é depósito, não deixe coisas espalhadas.

-Respeite o limite de velocidade.

-Tome sempre cuidado na hora de abrir as portas do carro. Deu uma raladinha? Entre em contato com o vizinho para se identificar e permita que ele escolha a melhor maneira de reparar o automóvel.

-Quando dois carros se encontram, a preferência é sempre de quem está chegando.

Vivendo em harmonia

Essas são apenas algumas atitudes para manter o condomínio em harmonia e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos moradores. Cada um deve fazer sua parte, afinal, é um trabalho conjunto!

Não se esqueça que a SindBoss está à disposição para resolver qualquer problema. Pois isso, conte com a gente!

 

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando. 

Essas são apenas algumas atitudes para manter o condomínio em harmonia e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos moradores. Cada um deve fazer sua parte, afinal, é um trabalho conjunto!

Não se esqueça que a SindBoss está à disposição para resolver qualquer problema. Pois isso, conte com a gente!

 

Gostou do nosso conteúdo? Então continue nos acompanhando. 

Vivendo em harmonia

Como cuidar da saúde mental durante a quarenta?
Como cuidar da saúde mental durante a quarenta? 1024 1024 sindboss

Como cuidar da saúde mental durante a quarenta?

O momento é delicado e não podemos deixar de lado o cuidado com a nossa mente

É preciso cuidar da saúde mental

A SindBoss sempre deixou claro que se preocupa com todos os condôminos. Nós sabemos que o momento está sendo delicado e não está fácil ficar dentro de casa, não é verdade? E assim como nos cuidamos para evitar a contaminação e propagação do coronavírus, a saúde da mente não pode ficar de lado.

É muito comum nesse período se sentir mais ansioso, desmotivado e até triste. Afinal, estamos vivendo uma situação incomum, que não sabemos lidar muito bem. Para Carla Barreto, Farmacêutica e Palestrante da área da saúde, neste momento é muito importante ter controle emocional.

Saúde mental pode ser considerada como um equilíbrio em qualquer situação, ou seja, como você reage ao ambiente e com as pessoas. Com essa nova situação, pandemia, quarentena, isolamento, ficou muito clara a importância do controle emocional. Sair de casa? Ficar em casa? Medo de se contaminar? Medo de morrer? A vida dos amigos e familiares? Riscos econômicos. Tudo o que pode gerar pânico. Certamente, que não temos um botão para não entrar em pânico, mas nós necessitamos, principalmente nos momentos de dificuldade, ter o controle emocional. Carla Barreto, palestrante.

 Claro que, para ter esse controle, a mudança precisa ser aos poucos e só dependerá de você!

A SindBoss sempre deixou claro que se preocupa com todos os condôminos. Nós sabemos que o momento está sendo delicado e não está fácil ficar dentro de casa, não é verdade? E assim como nos cuidamos para evitar a contaminação e propagação do coronavírus, a saúde da mente não pode ficar de lado.

É muito comum nesse período se sentir mais ansioso, desmotivado e até triste. Afinal, estamos vivendo uma situação incomum, que não sabemos lidar muito bem. Para Carla Barreto, Farmacêutica e Palestrante da área da saúde, neste momento é muito importante ter controle emocional.

Saúde mental pode ser considerada como um equilíbrio em qualquer situação, ou seja, como você reage ao ambiente e com as pessoas. Com essa nova situação, pandemia, quarentena, isolamento, ficou muito clara a importância do controle emocional. Sair de casa? Ficar em casa? Medo de se contaminar? Medo de morrer? A vida dos amigos e familiares? Riscos econômicos. Tudo o que pode gerar pânico. Certamente, que não temos um botão para não entrar em pânico, mas nós necessitamos, principalmente nos momentos de dificuldade, ter o controle emocional. Carla Barreto, palestrante.

 Claro que, para ter esse controle, a mudança precisa ser aos poucos e só dependerá de você!

É preciso cuidar da saúde mental

Como ficam os sentimentos? 

Fala a verdade, no dia a dia há um turbilhão de sentimentos, não é mesmo? Os mais comuns são o estresse, ansiedade e depressão. Tudo isso pode gerar várias reações e sintomas físicos, como a supressão (queda) da imunidade.

 Se você está com sintomas como: desânimo, dor de cabeça, falta de sono, sensação de sufocamento, dor de estômago, tristeza, fobia e medos intensos… é sinal que você precisa cuidar da saúde mental. Estamos num momento de aprender, desaprender e reaprender essa nova vida. Então melhore suas relações em casa, faça atividades que te deem prazer (livros, filmes, séries, músicas), cuide do seu corpo (alimentação e exercícios), faça meditação, seja positivo, seja grato, seja ativo. Não se compare ao outros, seja o melhor que você pode ser nesse momento. Controle o que está ao seu alcance. Acredite na sua força interior. Carla Barreto, palestrante.

Além disso, é muito importante que você perceba se está sabendo lidar com essas emoções sozinho. Se não estiver, procure ajuda. Hoje é possível fazer terapias e consultas online.

E para te ajudar ainda mais nessa tarefa, a Carla comenta algumas dicas e atitudes para conseguir manter a sua mente saudável. Confira!

O que fazer para se sentir bem?

Gostou? Compartilhe esse conteúdo com os familiares e amigos. Assim você pode ajudar outras pessoas a cuidarem da saúde mental!